Igreja Presbiteriana Paulistana
  • A Famlia IPP
  • Spacer
  • Liderana
  • Spacer
  • Galeria
  • Spacer
  • Mensagens
  • Spacer
  • Contato

Mensagem: Alegrai-vos no Senhor

MP3 | Audio:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Pregador: Dr. Alderi Souza de Matos

Filipenses 3.1; 4.4

Introdução

  • Muitas vezes, quando olhamos para certas realidades de nossa vida pessoal e da sociedade, parece haver poucos motivos para alegria, e sim para frustração, tensão, pessimismo.
  • Exortação apostólica: “Alegrai-vos sempre no Senhor”. A alegria é uma das emoções e atitudes mais benéficas para a nossa vida, com grandes reflexos sobre nosso estado físico, emocional e espiritual. Tem a ver com nossa atitude correta diante de Deus.
  • Tema frequente no Antigo Testamento – alguns de seus versos mais apreciados falam sobre ela:
    • “A alegria do Senhor é a vossa força” (Neemias 8.10c)
    • “Ao anoitecer pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã” (Salmos 30.5).
    • “Alegrei-me quando me disseram: vamos à casa do Senhor” (Salmos 122.1).
    • “Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele” (Salmos 118.24).
    • “O coração alegre aformoseia o rosto” (Provérbios 15.13).
    • “O coração alegre é bom remédio” (Provérbios 17.22).
  • O Novo Testamento destaca a importância da alegria como virtude cristã primordial em duas passagens:
    • “O fruto do Espírito é: amor, alegria, paz…” (Gálatas 5.22).
    • “O reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Romanos 14.17).
  • Em que consiste essa alegria cristã, essa virtude especificamente evangélica? O apóstolo Paulo dá grande contribuição ao tema no contexto de sua filosofia cristã de vida.

1. Está fundamentada no Senhor

  • O Deus revelado em Cristo é a fonte dessa alegria. Seu amor perdoador, seu cuidado providencial, sua presença confortadora são os motivos maiores que temos para ser alegres.
  • Um líder cristão disse que “a alegria é a bandeira içada no castelo do coração quando o Rei está presente nele”. Certa vez perguntaram a Haydn, o grande compositor, por que sua música sacra era tão alegre, e ele respondeu: “Quando eu penso em Deus, o meu coração fica tão cheio de alegria que, por assim dizer, as notas dançam e saltam da minha pena”.
  • O salmista afirma a mesma verdade ao dizer: “Na tua presença, há plenitude de alegria, na tua destra delícias perpetuamente” (16.11). Para isto, precisamos conhecer a Deus, estar em comunhão com ele, reconhecer seu amor e bênçãos.
  • Daí a tríplice exortação aos filipenses: “alegrai-vos no Senhor” (3.1); “alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos” (4.4). Assim, a alegria cristã se destaca por seu caráter teocêntrico e cristocêntrico. Cristo na experiência do apóstolo Paulo (1.21; 3.7-8).

2. Não depende das circunstâncias

  • A alegria cristã, quando autêntica, firmada no Senhor, se mantém mesmo em situações adversas.
  • Escrevendo aos filipenses, Paulo está preso, sozinho, se depara com a perspectiva da morte (1.20c; 2.17), mas se mostra alegre (1.4, 18; 2.17; 4.10). O mesmo ele quer ver nos irmãos sofridos a quem escreve (1.28-30).
  • A situação refletida na carta, tanto no caso do apóstolo quanto dos crentes, é de dificuldade, provações. Mesmo assim, o texto transborda de otimismo e esperança, como fica claro na filosofia de vida de Paulo (4.11b-13).
  • A alegria é parte de um contexto maior: (a) rejeição da ansiedade e do medo (4.6-7); (b) contentamento (4.11-13); (c) esperança (1.6,10; 3.20-21); (d) comunhão com Cristo.
  • Não se trata de negar a realidade do sofrimento e da dor tão presentes em nosso mundo (estoicismo, Ciência Cristã), mas superá-los, não nos deixar controlar por eles, ser otimistas e confiantes em meio a eles e apesar deles. “Entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo” (2 Coríntios 6.10).

3. Expressa-se concretamente em atos e palavras

  • A alegria cristã não pode conter-se no íntimo, mas transborda para o exterior. (Diferente da menina que sorriu por 10 horas e 5 minutos em uma maratona no Canadá.) O valor de um sorriso na decisão de Livingstone: “Meu menino, você gostaria de ser um missionário?”
  • A Escritura diz que devemos: servir ao Senhor com alegria; exercer misericórdia com alegria; contribuir com alegria; louvar ao Senhor com alegria. É interessante a ênfase na alegria no livro de Atos:
    • Atos 8.8: “… e houve grande alegria naquela cidade” (Samaria).
    • Atos 13.52: “os discípulos transbordavam de alegria e do Espírito Santo” (Antioquia).
    • Atos 16.34: “e com todos os seus, manifestava grande alegria por terem crido em Deus” (carcereiro de Filipos).
  • William Barclay – motivos pelos quais Paulo se alegra na carta aos Filipenses: intercessão pelos irmãos (1.4); Cristo está sendo pregado (1.18); a fé (1.25); ver os crentes em comunhão (2.2); sofrer por Cristo (2.17); notícias de um irmão amado (2.28); a hospitalidade cristã (2.29); estar em Cristo (3.1); ganhar outros para Cristo (4.1); a generosidade cristã (4.10).

Conclusão

  • Aprendamos a cultivar a genuína alegria cristã.